“A VIRGEM SAFADA ”

Estávamos de férias escolares na casa de praia do Cid. Era a primeira vez que seu pai
deixava que fôssemos sozinhos. Enfim dois adolescentes  cheio de vontade de aventuras
e diversão. Tínhamos descido a serra de  trem e andado 3 horas da estação até chegar
à casa. À noite a nossa preocupação: onde arranjar mulher? Não tínhamos carro e nem
dinheiro, só disposição de comer todas as mulheres da praia...
Alguém tinha falado que fumar cigarro dava charme e ganhava ”as minas”. E lá estávamos
fumando um cigarro ruim prá caramba e paquerando as meninas que passeavam no calçadão...e nada. Nenhuma garota dava bola prá gente. Até que começou a chover, e não
era “chover mulher”.
- Caramba, vamos voltar prá casa antes que a chuva aperte!!
Estávamos correndo quando vimos uma garota toda molhada tentando se esconder da
chuva: - Oi! Tudo bem? Está perdida?
- Vim de São Paulo prá ficar na casa de uma amiga e agora fiquei sabendo que ela não vem mais...
- Nossa! E onde você vai passar a noite?
- Não sei...
- Então fica com a gente que estamos numa casa aqui perto.
Ela olhou o vazio do lugar e a penumbra da noite e avaliou que éramos um risco menor.
E lá fomos nós...E eu pensando: quem vai comer essa garota?
Depois do banho e jantar com macarrão instantâneo fomos dormir...cada um no seu quarto.
De manhã ouço risos na cozinha. – Oba, já devem estar fazendo o café.
Uau, quando chego na cozinha vejo a Sheyla (esse era o nome dela) chupando o pau do Cid.
É chocante a primeira vez que você vê uma garota chupando o pau do seu amigo!
-Ops...Desculpe, eu não queria atrapalhar...
- Você não está atrapalhando nada, fica aí que te chupo também.
- Caracas, isso só acontece em contos eróticos...Essas férias prometem!!!
E aí quando ela começou a me chupar e o Cid foi por trás prá comê-la.
- Não pode colocar na minha vagina porque sou virgem.
- O QUÊ?!! Como assim?
- É verdade, adoro sacanagem, se quiserem que eu chupe eu chupo, mas preciso casar virgem.
Sou noiva de um árabe rico que vem me conhecer no ano que vem e ele só casa se a noiva for
virgem.
- Hummmm, mas o seu cuzinho não precisa ser virgem, não é mesmo?
E aí, enquanto ela me chupava gostoso, o Cid se deliciava com aquele bundão...
Ficamos quinze dias ela chupando o pau dos dois e nós lambendo seus seios, sua vagina (porque lamber, pode) e seu cuzinho. Aliás comemos aquele cu de todo jeito: de “quatro”,
de “franguinho” e de lado...até enjoar. Um cu de vez em quando é muito bom, mas só cu,  aí enjoa!!
No último dia, estávamos  conversando depois de mais uma trepada, quando ela nos confidenciou que a ideia inicial seria ficar apenas aquela noite, e “pagar a estadia”, mas depois daquela transa gostosa à três resolveu curtir a pensão completa. Foi quando perguntei:
- Você é virgem mesmo?­
- Pensa! Você acha que estaria com o meu cu ardendo deste jeito se não fosse para manter a minha virgindade? Ué, você
chupou a minha vagina e não viu se sou virgem?
-Hummm, deixa ver... E comecei a abrir sua vagina com todo cuidado.
Prá falar a verdade, a vagina tem aqueles grandes lábios e ...não sei se o que eu vi era o hímem.  Bom, não sou ginecologista e nem o noivo dela, então só sei que nunca comi tanto cu como naquelas férias!!!

FIM