Ménage a Trois X Swing

Queridos seguidores, o que é o Ciúmes senão o sentimento de “posse”?
A convicção de somos o dono do nosso parceiro(a) e que a relação é exclusiva?
Já dizia Raul Seixas na música “A Maçã”:”...se eu te privo do que mais venero que é a beleza de deitar.”
Ora, e se em vez de ficarmos presos aos nossos velhos conceitos de fidelidade,  buscássemos uma uma relação sexual mais livre e intensa? É aí que entra o “Ménage a Trois” e o “Swing”.
No Ménage a Trois uma terceira pessoa “apimenta” a relação. Como o meu amigo
Enricão que tem uma amante que é advogada e que num certo dia confessou que tinha uma fantasia de transar com 2 homens,
Demorou!!! Ele ligou para o Edmundo (um putanheiro de primeira) que veio correndo para realizar essa fantasia. Ménage a Trois é esse fetiche que normalmente é realizado contratando-se uma garota ou garoto de programa. E o Swing?
O Swing é mais complexo porque exige do casal o comprometimento com a filosofia de vida dos swingers. Não é uma simples troca de casais. É participar de uma comunidade onde os casais dividem as mais diversas experiências sexuais.
Pode ser numa casa de swing onde os casais encontram uma estrutura apropriada para conhecerem outros casais e se relacionarem ou em sites que apresentam os casais e organizam festas onde ninguém é dono de ninguém, mas todos se relacionam e se respeitam.
Geralmente na sala rola um som eletrônico para as pessoas dançarem , se conhecerem e irem para os quartos com um, dois ou mais casais.
É isso aí, a idéia é o homem “comer” diversas mulheres e elas transarem com diversos homens.
Já vi mulheres transando com mais de 5 homens ao mesmo tempo. Uma delas chupava 2 paus (um de cada lado) enquanto um rapaz por baixo comia o seu cu, um outro por cima comia a sua vagina e o quinto rapaz chupava os seus seios...ufa!!!
E sabe qual a grande ironia? Seu marido que é um voyeur assumido se deliciava com a realização sexual de sua esposa.
Parece surreal mas é só questão de conceito. Uma traição só existe  quando alguém engana alguém, então quando um casal assume a cumplicidade de viver plenamente todas as experiências sexuais esse é o caminho para buscar a liberdade sexual!
Enfim, vamos ser mais felizes convivendo com essas experiências? Ah, depende de cada cabeça meu amigo!!!!